DISCURSO AO POVO DE CABO VERDE POR OCASIÃO DA REELEIÇÃO DE JORGE CARLOS FONSECA COMO PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Cidade da Praia, 2 de Outubro de 2016

Caras e caros concidadãos, muito boa noite.

Dirijo-me com muita gratidão a todas as mulheres e homens de Cabo Verde, nas ilhas e nas comunidades.

DEIXEM-ME SER MAIS CLARO: ACEITEM TODOS E CADA UM DE VÓS UM ABRAÇO SINCERO E MUITO GRATO.

Muito obrigado pela Vossa Confiança, pelo Vosso Apoio e pelo Vosso Voto.

A democracia está de parabéns!

A minha eleição hoje para um novo mandato é uma vitória da cidadania, é uma vitória de todas as mulheres e de todos os homens que prezam e que acreditam no valor máximo da liberdade de poderem escolher quem os representa.

Esta é uma eleição histórica do ponto de vista dos resultados. A vitória que alcançámos, acima dos 70%, vencendo em todas as Ilhas e em todos os círculos da diáspora, é a mais expressiva de sempre na democracia Cabo- verdiana. O exercício de um mandato anterior que conquistou o apoio da esmagadora maioria dos nossos cidadãos fez com que muitos considerassem que a vitória desejada era certa e por isso não pensaram ser necessário ir às urnas.  Ainda assim, obtive nesta eleição, praticamente o mesmo número de votos conseguidos na segunda volta das eleições de 2011.

É Cabo Verde, verdadeiramente, que também está de parabéns!

Concidadãs e concidadãos,

É com um orgulho imenso – com muita alegria, mesmo – que aceito a Vossa escolha, livre e informada, para continuar a servir o nosso país.

Continuarei a ser fiel à Constituição de Cabo Verde, cumprindo o papel de mais Alto Magistrado da Nação com rigor, com isenção e com total independência.

Nestas eleições fui julgado positivamente pelo mandato que acabou; mas fui, sobretudo, e de forma inequívoca, reconduzido na missão que honrosamente me confiaram: a de ser o Presidente da República do nosso Cabo Verde.

O Presidente da República é o cimento da Nação: ele corporiza o sentir de Cabo Verde, porque é escolhido directamente pelo Povo, numa eleição que é universal; O Presidente garante a equidade e a imparcialidade políticas: porque defende o superior interesse da Nação, acima de qualquer outro.

É esta a minha primeira garantia enquanto Presidente da República: a de que saberei honrar, de forma permanente e integral, o mandato que hoje me foi confiado por Vós.

A segunda garantia que vos deixo é a de que na Presidência da República continuarei a ser um garante da estabilidade democrática, do cumprimento da Constituição e do primado do Estado de Direito.

Cumprirei o meu mandato colaborando de forma dedicada com todas as instituições democráticas, em especial com o Governo, com o Parlamento e com as autarquias. Os desafios que enfrentamos, enquanto país e enquanto povo, convocam o esforço e a dedicação de todos.

Serei, por isso, um promotor activo do diálogo entre as instituições eleitas democraticamente, mas também um promotor da paz e do desenvolvimento social, da coesão territorial.

Serei um construtor de pontes, com a sociedade civil, com os empresários, grandes e pequenos, com os investidores, nacionais e estrangeiros, mas também com os trabalhadores, com os estudantes, com os jovens, com os empreendedores.

Cabo Verde precisa de todos e eu conto com todos, como todos sabem que podem contar comigo para fazermos da nossa Nação um espaço de maior liberdade, de maior desenvolvimento humano, social e económico, uma Nação mais justa.

Nisso aplicarei toda a minha inteligência, todo o meu conhecimento, toda a minha experiência.

A terceira garantia solene que nesta noite assumo para convosco, é a de que cumprirei, de corpo e alma, com todas as minhas energias, com toda as minhas forças e com toda a minha dedicação o compromisso de ser o Presidente sempre com as pessoas.

Ser o Presidente sempre com as pessoas significa, acima de tudo, que não me deixo deslumbrar pelo poder, que não me deixo cegar pela posição cimeira que ocupo.

Significa, acima de tudo, exercer a função presidencial com o pensamento permanente – e a responsabilidade que isso acarreta – centrado em todos e em cada um de Vós!

Defender o superior interesse nacional significa, justamente, defender o superior interesse das pessoas.

São as pessoas a base essencial da Nação, são as famílias de mulheres e de homens de Cabo Verde, de Santo Antão à Brava e nas comunidades espalhadas pelo mundo.

O resultado expressivo desta eleição comprova o sentimento de que fiz uma campanha pela positiva, com ideias e com propostas concretas, movida por um espírito construtivo de cidadania e animada por uma comunhão de vontades: a democracia faz-se todos os dias e Cabo Verde ganhou com esta campanha.

Hoje é, efectivamente, um dia de celebração. É um dia de alegria.

Os eleitores escolheram o candidato que fez uma campanha positiva, no terreno, em todos os comícios, nos tempos de antena, em todos os debates e em todas as intervenções.

A linha de comunicação, as acções na rua, os porta-a-porta, os encontros, as reuniões todas que tivemos, em todas as ilhas e lugares, procuraram sempre levar o esclarecimento e prestar informação, de forma elevada e digna.

O tempo agora é de olhar para a frente.

As campanhas eleitorais, por vezes, trazem consigo episódios menos felizes e pouco edificantes.

Não tem que ser assim, mas por vezes esses episódios acontecem, e sabemos todos que aconteceram nesta campanha. Pessoalmente, reprovo esse tipo de comportamentos e de atitudes.

Como Presidente eleito cumpre-me assinalar que o tempo da campanha passou e ser o Presidente de todos significa justamente isso. Cumprimento, pois, os meus adversários, de forma respeitosa.

Não posso deixar de agradecer especialmente a minha Mulher, Lígia, à minha Família, que sempre me apoiou e, claro, aos Senhor Mandatário Nacional Lúcio Antunes, às Senhoras e Senhores Mandatários que sempre estiveram presentes e, claro, a todo o pessoal de campanha, na pessoa do meu amigo e inexcedível director de campanha, António Maurício dos Santos e ao Presidente do Conselho Político e Amigo de longa data, Manuel Faustino.

Agora é hora de voltar ao trabalho. Apenas quero, antes de me despedir, deixar mais um abraço fraternal de gratidão pela participação nestas eleições.

Viva Cabo Verde.